terça-feira, 27 de abril de 2010

Entretanto...

Saudações depois da minha ausência mais ou menos prolongada...

Esta semana e a semana que passou têm sido de loucos; tenho estado muito ocupado e ainda vou estar durante os próximos dias, mas ainda assim consegui arranjar um tempinho para o blog, nem que seja para avisar que ainda estou vivo (já agora, sim, ainda estou vivo).

Têm acontecido algumas coisas ultimamente (para além do trabalho) e eu gostaria de falar de algumas delas, mas não o farei ainda por dois motivos: em primeiro lugar, não tenho tempo para me alongar muito sobre o que quer que seja (o teste de amanha não mo permite...); em segundo lugar, não gosto de falar sobre coisas que ainda estão a ganhar forma. De qualquer maneira, posso dar uma ideia do que estou a falar.

Ultimamente, apesar de estar ocupado, tem havido tempo para que certas coisas começassem a surgir noutros planos da minha vida, nomeadamente no plano pessoal. Como disse, as coisas ainda estão a tomar forma, mas posso dizer, de forma muito simplificada e concisa, que surgiu recentemente uma pessoa na minha vida que tem vindo a ganhar uma certa importância, no que diz respeito ao que sinto por essa pessoa. Trata-se de um rapaz (pormenor importante e que me tinha esquecido de mencionar até agora xD) e não posso ainda dizer muita coisa sobre isto, pelos motivos que ja referi, mas posso dizer que espero sinceramente que as coisas entre mim e ele ganhem forma e assumam alguma importância, porque ele é realmente uma excelente pessoa (e bastante interessante...)

Enfim, por agora não há muito mais que possa dizer, pode ser que tenham sorte e eu tenho mais novidades a dar depois de os testes terminarem e eu já puder respirar de alívio por ter algum tempo para mim.

Deixo-vos com um conselho que acaba por ser mais um pedido: aproveitem o vosso tempo livre e vão passear, já que eu não o posso fazer =P (o tempo até está a melhorar e tudo...)

F.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Completo

Vê.

Todas as cores, todas as formas, todas as luzes que iluminam o caminho que tens à tua frente, todos os reflexos nas poças deixadas pela chuva, todos os raios de sol que entram pela janela e se derramam pelo chão, todas as coisas em que não reparas mas que estão lá, à espera que as descubras, tudo aquilo que o mundo quer que tu vejas.


Ouve.

Todos os sons, todas as notas, todas as músicas que te transportam para lugares e tempos que achavas que se tinham perdido, todas as vozes que te rodeiam sem que as escutes, todos os sussurros que ocultam segredos por revelar, todas as palavras que gostarias um dia de ouvir repetidas, todos os ecos das tuas próprias palavras, tudo aquilo que o mundo quer que tu oiças.


Cheira.

Todos os odores, todos os aromas das flores que crescem nas calçadas sem se preocuparem, todos os perfumes que te prendem e se sentem na alma, todos os eflúvios que se desprendem da natureza que te envolve, todas as fragrâncias que se inspiram e expiram num instante, tudo aquilo que o mundo quer que tu cheires.


Saboreia.

Todos os sabores, todas os pratos acabados de fazer que te satisfazem e deleitam, todas as garfadas que se desfazem na boca em mil paladares, todos os pães quentes que acabaram de sair do forno, tudo aquilo que o mundo quer que tu saboreies.


Sente.

Todas as texturas, todas as gotas de chuva que te escorrem pelo cabelo, todos os toques macios de outra pele na tua, todas as sensações que te despertam e arrepiam, todas as sensações suaves que te tocam por fora e por dentro, todas as coisas que o mundo quer que tu sintas.


Sê.

Aquilo que apenas tu podes ser.


És completo.



(Isto foi fruto de uma inspiração súbita. Espero que gostem.)

F.

Faltam 13 dias...

Faltam 13 dias para começar a Feira do Livro de Lisboa. Não perco uma. A sério. Dezenas de editoras, centenas de livros, milhares de páginas. Maravilhoso.

(Sim, gosto de livros. Nota-se assim tanto?)

Já é uma tradição minha anual ir à Feira do Livro de Lisboa (e gastar mais dinheiro do que provavelmente seria considerado razoável); mas este ano a tradição tem contornos ligeiramente diferentes. Afinal, é o primeiro ano em que estou a estudar em Lisboa na altura em que a feira cá está, logo, vou poder ir em mais do que um dia. O que é óptimo, não tenho o dilema de decidir em que dia é que vou ("Gostava de ir no dia X porque o autor Y vai lá estar, mas vai haver uma sessão de autógrafos com o autor Z neste outro dia...", dá para perceber a ideia, não dá?).

Claro que as coisas não são um mar de rosas: gostava muito de ir à inauguração, mas não posso. Porquê? Porque a feira começa precisamente durante a minha época de testes, ou seja, numa semana perfeitamente infernal em que não vou ter muito tempo para pensar em livros que não sejam os da faculdade.

(Aviso: as semanas preenchidas dos testes começam muito em breve, daí que se o meu blog parecer estranhamente parado durante as próximas duas semanas, já sabem o motivo.)

Conclusão: recomendo fortemente a Feira do Livro de Lisboa, de 29 de Abril a 16 de Maio. Mesmo para quem não é um leitor muito dedicado, há sempre coisas para todos os gostos e de qualquer forma passa-se lá um bom bocado e sempre é melhor que ficar em casa.

E já agora, aqui fica o link para quem quiser mais informações: http://www.facebook.com/feiradolivrodelisboa

Até à próxima (que não sei quando é...),

F.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

O rapaz de trás (ou do lado)

Desde que começaram as aulas do 2.º semestre que as segundas-feiras e quartas-feiras têm um significado particular. É precisamente às segundas e quartas que tenho uma aula em que está presente o rapaz do título deste post. Refiro-me a ele como "rapaz de trás" porque ele costuma estar sentado atrás de mim. É um rapaz do 2.º ano, que aparentemente está a repetir a disciplina.

Em circunstâncias normais não seria provável eu meter conversa, mas ele costuma estar sentado ao lado de uma rapariga do 2.º ano que conheço e com quem me dou razoavelmente bem, daí que tenha começado a falar esporadicamente com ele. Mas não é só isso, e aqui começa a parte da paranóia: nas primeiras aulas eu sentia-me "observado" por ele. Ora, isto não é nada de especial, até porque eu também olhava para ele de vez em quando. Mas não consegui deixar de ter uma sensação fora do normal relativamente a ele.

(Um aparte: não sei se é a isto que chamam "gaydar", mas suponho que não, porque o meu é praticamente inexistente...)

Ultimamente temos falado mais e temos confiança suficiente um com o outro para ele ter passado, numa das últimas aulas, de "rapaz de trás" a "rapaz do lado" (sim, sentei-me ao lado dele numa aula, mas por acaso foi só em uma). Enfim, não querendo dar azo a interpretações erradas, alguns esclarecimentos: primeiro, é verdade que acho o dito rapaz "interessante", mas apenas no sentido em que é simpático e tem piada, não no sentido de estar interessado nele (mal o conheço!); segundo, tenho quase a certeza absoluta, apesar da sensação fora do comum, que o rapaz é heterossexual; terceiro, por todos os pontos anteriores, não acredito que o rapaz passe de "rapaz de trás (ou do lado)" a alguma coisa mais séria ou significativa.

No entanto, não posso negar que até gosto das aulas de segunda e quarta, em parte por causa dele, o que tem suscitado vários comentários e indirectas de colegas que sabem que sou bissexual (coisas como: "então, F, estás muito contente...", conhecem o género...).

Bem, isto foi apenas para vos dar um vislumbre das minhas segundas e quartas, como disse não é nada de especial (mas podemos fantasiar, não é?).

F.

terça-feira, 13 de abril de 2010

O meu primeiro post

Olá. Este é o meu blog. Uma primeira informação sobre mim: não tenho jeito para começar textos. Especialmente textos que vão servir de primeiro post para um blog. Por isso, se tiverem sugestões de inícios de primeiro post mais interessantes e menos idiotas que este, enviem-mas por mail ou deixem-nas nos comentários. Da próxima vez que começar um blog vou de certeza precisar delas.

Dito isto, se calhar era simpático dizer alguma coisa sobre este blog. Criei-o por algum motivo obscuro que agora não me recordo; possivelmente para falar um pouco de mim e da minha vida, entre outras coisas (o que, pensando bem, é bastante egocêntrico, criar um blog para falar de mim, mas enfim, não vos obrigo a ler, pois não?). Por isso não sei bem o que daqui vai sair, ainda, mas provavelmente devia dizer uma ou duas coisas sobre mim que ajudem a dar sentido a algumas coisas que vou aqui escrever.

1) Sou um estudante no 1º ano da faculdade, na área das ciências (se quiserem que seja mais específico, adicionem-me, o meu mail está no perfil, basta clicarem ali ao lado!). Digo isto simplesmente por ser informação que, não dizendo muito sobre mim, já diz alguma coisa e ajuda a perceber (pelo menos um pouquinho) quem eu sou.

2) Sou bissexual. Esta é provavelmente a informação sobre mim que será mais relevante para este blog, acho eu. Há muita coisa que vou dizer aqui que não diria noutras circunstâncias, e só a poderão perceber se souberem que, para além de gostar muito do sexo feminino, também gosto bastante do sexo masculino, e que isso tem alguma influência na minha vida e na minha visão das coisas.

3) Gosto de escrever, mas não tenho tanto tempo nem tanta inspiração como gostaria. Isto serve de aviso, caso não actualize o blog durante mais tempo do que devia, mas garanto que vou fazer um esforço para ir dizendo qualquer coisa regularmente.

4) O título do blog diz muito sobre mim, mais do que eu poderia explicar. Mas, resumidamente, significa que estou sempre a procura de qualquer coisa (não estamos todos?), no sentido em que é raro, ou tem sido raro até hoje, sentir-me completamente satisfeito. Sinto frequentemente que me falta qualquer coisa, embora na maioria dos casos não saiba bem o que é. Enfim, espero que posts futuros esclareçam melhor esta questão.

Bem, penso que por agora é tudo. Fiquem atentos, eu vou dizendo qualquer coisa, e se quiserem também dizer alguma coisa, comentem ou adicionem-me, eu gosto de ter feedback.

Cumprimentos,
F.